sábado, 23 de outubro de 2010

Sozinho...



            Essa semana minha mãe comentando sobre uma reportagem no programa matinal da Ana Maria Braga que ela viu dias atrás com o psiquiátra Flávio Gikovate,que   atualmente  faz    um   personagem   que também é psiquiátra na novela passione,ao lado do personagem Gerson,interpretado por Marcelo Antoni.Me fez pensar porque não falar sobre esse tema da qual ela citou ter ouvido,individualismo,sobre   o quanto   as pessoas buscam cada vez mais viverem sozinhas,livre de relacionamentos   conturbados  e de  muita  entrega.
             Só tive uma pessoa da qual eu posso dizer que a namorei,fora isso,não tenho outro fato do tipo pra contar em relação a namoro,era tudo novo pra mim,eu tinha 22 anos(já!).Era meu primeiro  relacionamento e tudo parecia começar bem,eu via uma pessoa da qual eu poderia me dar a chance de experimentar o que era isso que todos falavam,amor,paixão,tudo que os casais falavam eu só ouvia,mas  claro,houve  interesse,o que nada tem a ver com que a pessoa tenha servido apenas como uma  simples  oportunidade  na  qual  eu  podia descartar tão fácil.Daí então iniciamos um namoro,eu na realidade não queria mostrar tanto interesse ,já como tentativa de não deixar vir à tona minha característica principal,a dependência.De certa forma eu fui um pouco rude,mas   simples   forma   de   defesa   apenas,queria   ter  atitudes,as  mesmas  que  eu  tinha antes,quando solteiro,porém não que eu não pudesse,mas não é bem assim  que  funciona  quando  temos alguém,uma boa parcela de tempo livre você sempre divide com o(a) parceiro(a),afinal,há esse  momento que todos vivem,de intensidade,onde nenhum dos dois querem passar mais do que um dia sem se ver.
              Eu inexperiente naquele tempo não fiz as coisas certas,claro,hoje em dia continuo sozinho e muito bem,vejo que quando estamos de coração livre e ninguém se encontra em nossos pensamentos,passamos a viver melhor,carência bate,mas conseguimos driblar.Não posso falar por todo mundo óbvio que não,mas eu sou assim e prefiro viver dessa forma.Vejo que não sei me relacionar,pra mim não tem meio termo,uma dose certa,me entrego demais e isso traz sofrimento.Achei   interessante   essa frase do Flávio Gikovate "para os   meus  pacientes  eu  sempre digo:se você  tiver de escolher entre o amor e a individualidade,opte pelo segundo."Foi nesse momento que  logo me indentifiquei,é o que acontece  comigo.Segundo ele,  à cada dia mais as pessoas  buscam essa individualidade que ele diz nada tem a ver com egoísmo.Veja a entrevista dele completa na Revista Veja.
               Nos dias de hoje,na era da internet isso até se intensifica mais,não que passemos a nos relacionar amorosamente com outras pessoas à distância(por favor!).Digo que devido ao sofrimento causado por nos envolvermos com pessoas,que claro,não tem culpa alguma de fazermos dela nosso porto seguro,nossa dependência,a opção de ser solteiro é a melhor,assim não sofremos com a hora de um término,com as brigas existentes,que em alguns casos são rotineiros,desconfiança,infidelidade e até mesmo sexo não-seguro,o que faz com que junto dessa individualidade saibamos resolver nossos problemas sexuais muito bem sozinhos(dica).




          
         

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Topo ▲